Novo modelo de trabalho, ferramentas de comunicação ganham força

Além do trabalho das HRTechs nesse processo, oferecendo soluções otimizadas para engajar colaboradores, a gestão precisa ter um plano claro

Após mais de um ano vivendo entre as adaptações provocadas pela pandemia, muitas empresas ainda reavaliam qual formato de trabalho adotarão a partir de agora. Apesar de algumas pessoas sentirem falta do ambiente corporativo, isso não é uma unanimidade.Uma pesquisa promovida pelo LinkedIn em maio, com 2 mil pessoas, mostrou que 86% dos profissionais gostariam de continuar com o trabalho remoto após a pandemia. Além disso, de acordo com o levantamento de Gestão de Pessoas na Crise de Covid-19, conduzido pela Fundação Instituto de Administração (FIA), 94% das firmas também aprovam o home office.Neste cenário, diversas HRtechs têm buscado oferecer soluções tanto para o modelo remoto quanto para a volta gradual aos escritórios em modelo híbrido. As startups entregam desde um sistema de admissão on-line e ponto eletrônico até gamificação para avaliação de desempenho e demissão humanizada. O mais importante, porém, é que a comunicação seja alinhada. “O momento pede adaptação e resiliência emocional, que seja transparente e alinhe esses pontos. Assim seu time de liderança, RH e colaboradores terão longevidade e sucesso”, comenta Ricardo Nacarato, gerente de Marketing da Pontomais.Outro ponto fundamental, que tem sido debatido por empresas especialistas em recursos humanos, é repensar a cultura organizacional tendo o colaborador como protagonista ativo principal. Segundo Daniel Alves, fundador da Colorkrew no Brasil, este é o momento de oferecer soluções que promovam maior alinhamento e engajamento entre as equipes, usando a chamada metodologia ágil.

Pesquisas reforçam o papel fundamental da comunicação nesse processo. Dados da Towers Watson apontam que empresas que contam com comunicação interna efetiva têm mais de 47% de retorno aos acionistas.

Já a pesquisa “PMI’s Pulse of the Profession In-Depth: The Essential Role of Communications”, da Project Management Institute, mostra que mais de 54% dos projetos são bem-sucedidos devido à comunicação eficiente. Além disso, a Dynamic Signal revela, com o estudo “State of employee communication and engagement“, que 90% dos funcionários acreditam que a boa comunicação é a chave para um clima positivo.

Na prática

Com foco em comunicação interna, a Progic ajuda organizações a reforçarem a cultura e aumentar o sentimento de pertencimento da equipe. Uma das ferramentas é a TV corporativa. A empresa, inclusive, teve um crescimento de 25% na pandemia.

“O primeiro passo é ter um plano claro, ter a estratégia de retomada documentada. Se não houver clareza, é necessário muita cautela antes de acionar canais de comunicação para se posicionar”, defende Rodrigo Cabral, sócio e diretor comercial da Progic.

O especialista explica que, depois que esse plano está estruturado, é preciso pensar em como conversar e impactar a audiência nas empresas. “Um desses canais é a TV corporativa. Por apresentar conteúdo com ciclos de repetição é ideal para reforço de mensagens. No cenário de retomada, uma forma de se utilizar o veículo, por exemplo, é para fortalecer as regras essenciais da política de retomada da empresa, como a higienização, uso de máscaras, frequência de troca etc.”, argumenta.

Atualmente, o grupo atende mais de 500 organizações parceiras, sendo 150 de grande porte, como IBM, Alelo, P&G, Renault, Bradesco, Marfrig e TV Record. E alcançando aproximadamente 550 mil pessoas em todo o país, com mais de 5 mil telas em operação.

“Felizmente, temos hoje muitas possibilidades de como comunicar. O ideal é entender a estratégia e o público para então pensar nas ferramentas e canais mais assertivos”, sugere Cabral. “A Progic, por exemplo, alia metodologia e criatividade na entrega de suas soluções, sempre com foco em alto resultado e baixo custo”, conclui.

Texto original: Metrópoles

 

%d blogueiros gostam disto: