Impacto da COVID-19 para serviços profissionais atualmente

A pandemia da Covid-19 teve um impacto profundo no mercado de trabalho, principalmente afetando os trabalhadores com menor proteção social e baixa escolaridade.

Ela acelerou os processos de digitalização e e-commerce desde que se viu necessário o distanciamento social para evitar a propagação do COVID-19. As consequências desse curto prazo foram repentinas e, em muitos casos, severas: milhões de pessoas foram dispensadas temporariamente ou perderam o emprego, enquanto outras se adaptaram rapidamente ao trabalho remoto à medida que os escritórios fechavam.

Aqui, vamos organizar alguns dos impactos que a pandemia trouxe ao longe desses 2 anos que se passaram.

Os desafios para os governos e as empresas

Par resolver os problemas causados pelo corona vírus foi necessário entender as causas e quais seriam as consequências para tentar agir dentro do possível e alcançável. O problema antes da pandemia não era a falta de empregos, mas a baixa qualidade de grande parte dos postos de trabalho gerados. Embora houvesse uma vigorosa criação de empregos para trabalhadores mais qualificados em segmentos de serviços modernos

A crise para o trabalhador Brasileiro

No Brasil os efeitos foram particularmente significativos, não somente em função da queda sem precedentes da população ocupada e da população economicamente ativa, mas também pelo fato de que, diferentemente de recessões anteriores, desta vez os trabalhadores informais foram mais atingidos que os formais.

A crise ocasionada pela pandemia gerou um grande impacto nas relações sociais e profissionais. De uma hora para outra, muitas pessoas tiveram de se isolar em suas casas, sem poder ter contato pessoal com amigos, familiares e colegas de trabalho. Não sendo o bastante, em muitos casos, profissionais, que continuaram a exercer suas funções remotamente ou presencialmente, tiveram de se adaptar a uma rotina diversa de trabalho, afazeres domésticos e educação dos filhos.

O setor de serviços no pós pandemia

O setor de serviços, por seu alto grau de contato com a sociedade e sua importância econômica, foi altamente impactado. Diante disso, para amenizar os efeitos da crise, as organizações passam a tomar medidas emergenciais severas.

Os trabalhos que se encontram em categorias com maior nível de proximidade física têm maior probabilidade de sofrer uma transformação após a pandemia, provocando um “efeito dominó” em outras categorias de trabalho, à medida que os modelos de negócios vão mudando em resposta à pandemia.

E para as empresas que tiveram o desenvolvimento de suas atividades restringidas, notadamente o home office foi uma das alternativas mais satisfatórias. Escritórios de advocacia, por exemplo, tiveram toda a sua rotina adaptada, contudo, a adaptação do setor foi menos traumática, pois já havia uma crescente tendência de informatização dos processos judiciais e administrativos, bem como no relacionamento com o Poder Público.

%d blogueiros gostam disto: